quinta-feira, 29 de maio de 2008

Como escurecer um cabelo descolorido

Quando descolorimos o cabelo, retiramos a pigmentação natural do fio. Todo cabelo possui um fundo de clareamento, ou seja, ao clarear o cabelo ele vai revelando nuances que vão subindo de um vermelho a um dourado claro. Para fazer o cabelo voltar a cor natural, não basta passar uma tinta escura, pois o cabelo vai desbotar rapidamente porque ele não tem a pigmentação natural dele, em alguns casos, dependendo da cor aplicada, o cabelo pode ficar com um aspecto cinza-rato (como alguns profissionais chamam), ou rosé (no caso de aplicar um vermelho em cima de um cabelo bem claro). Para que isso não ocorra, é necessário primeiramente devolver o pigmento natural do fio, ou seja, um vermelho (somente na parte descolorida) e por cima do vermelho (sem enxaguar a tinta ou o tonalizante), a cor desejada, que pode ser um castanho claro, médio, enfim.

Proteção antes de usar chapinha

A chapinha é um instrumento extremamente prejudicial aos fios, principalmente para cabelos finos. Com o uso excessivo, o aspecto é de um cabelo mais volumoso próximo a raiz e mais fino nas pontas, uma vez que o calor excessivo da chapinha afina as pontas do mesmo, como se estivessem desgastadas. Meu conselho é que não se use tanto chapinha, apesar de ser prática, ela é extremamente danosa aos fios devido a alta temperatura de sua natureza. Se precisar usar, que o faça com responsabilidade, de vez em quando, em ocasiões especiais, sempre com um protetor térmico antes de aplicá-la, existem várias marcas boas no mercado para esta finalidade. Uso o Liss Perfecteur, da Loreal. A melhor ferramenta hoje em dia, em matéria de praticidade é a progressiva, que apesar de usar chapinha no processo, não desgasta os fios, ao contrário, sela a queratina na parte externa do fio, deixando-o tratado e com aspecto mais incorpado por até 3 meses, dependendo do cabelo.

terça-feira, 27 de maio de 2008

Cabelo armado, mudanças na adolescência

Isso é para aqueles cabelos que um dia foram lisos na infância e que mudaram durante a adolescência: trata-se de um processo natural de mudanças hormonais que têm influência direta na textura dos cabelos. É bem provável que este cabelo permaneça assim, mas existem algumas formas de lidar com este tipo de cabelo. Se sua idéia for apenas cortar, recomendo cortes irregulares, de preferência com a parte de trás mais curta e a frente com alguns fios mais cumpridos, isso ajuda no design desse tipo de cabelo. Pomadas e cremes sem enxágue (estimuladores de cachos) também ajudam no dia a dia, se a idéia não é fazer escova. Caso esteja realmente insatisfeita com a ondulação, recomendo algum alisamento, os melhores que conheço são o X-Tenso Thermo Liss da Loreal (a base de tioglicolato de amônia, para cabelos com uma ondulação suave) e o Force Relax também da Loreal (a base de guanidina, para cabelos com uma ondulação mais forte e resistente).

segunda-feira, 26 de maio de 2008

Ficar loira a partir de um castanho médio

Antes de sair passando uma tinta para ficar loira, é importante esclarecer alguns detalhes técnicos: todo cabelo possui um fundo de clareamento. O fundo de clareamento do castanho médio é um vermelho. Ao aplicar a tinta (coloração oxidativa) na altura de um 7 (loiro médio), com um oxidante de 30 volumes (para clarear 3 tons, ou seja, de um 4 - castanho médio - para um loiro médio), o resultado final será um loiro médio dourado acobreado (7,34), pois o fundo de clareamento do cabelo na altura do loiro médio é um dourado acobreado ou amarelo alaranjado, ou seja, um loiro com nuance quente. Para suavizar esse efeito quente, opte por um loiro claro acinzentado (8,1) ou um loiro muito claro acinzentado (9,1), com oxidante de 40 volumes para clarear 4 tons. O cinza ajuda a esfriar um pouco o resultado final. Observe que cabelos virgens ao serem clareados por coloração ou descolorante, clareia mais rápido na raiz (é mais quente)que nas pontas (mais frio), então é necessário aplicar a coloração primeiro nas pontas, preservando uns dois centímetros de distância da raiz, deixando-se agir por uns 15 minutos, depois aplica-se na raiz e deixa-se agir o tempo indicado na bula da tintura. Assim o cabelo não fica manchado. Se a idéia é chegar num resultado de um loiro mais frio, acinzentado, bem claro, recomendo que faça reflexo com descolorante, tendo consciência que o pó descolorante afina a matéria do cabelo, precisando fazer sempre hidratações em casa e/ou no salão, assim como qualquer química exige esses mesmos cuidados.

sábado, 24 de maio de 2008

Reflexos onde a raiz clareia pouco

É provável que a raiz escura não esteja clareando devido ao fraco poder clareador do oxidante. É recomendável em casos onde a raiz natural do cabelo é muito escura que se use um bom oxidante (de uns 40 volumes). A qualidade dos produtos também é importante, os melhores descolorante que conheço são o Blondor, da Wella, o Igora da Schwarzkopf, o Platinum da Loreal. E das linhas domésticas, recomendo o Lightner, da Shizen (o melhor na minha opinião, em matéria de poder de clareamento é o de menta, embalagem verde). Quanto ao oxidante, recomendo o da Loreal profissional, da Wella profissional, ou Lightner, também, de 40 volumes se a intenção é clarear até 4 tons. A técnica também é importante. Se o caso é só um retoque de raiz, então faça somente a raiz. Toda vez que remontamos a química, o cabelo enfraquece mais e mais, além de criar resíduos químicos.

quarta-feira, 21 de maio de 2008

Matização em Luzes ou Reflexos

A matização de cabelos com luzes, também é chamada de neutralização. O objetivo é amenizar o efeito geralmente amarelado resultante do processo de descoloração. Costumo usar um tonalizante (recomendo o Color Touch da Wella ou o Diacolor Richesse da Loreal). A escolha da altura de tom do tonalizante (se é um loiro médio, loiro claro, etc) é definido pelo fundo de clareamento apresentado na descoloração. E a nuance é definida pelo gosto da cliente, se ela quiser um efeito mais frio, costuma-se usar uma nuance mais acinzentada, como o 8,01 ou 9,01, que são nuances levemente acinzentadas. Aplica-se o tonalizante (misturado com sua emulsão) e deixa-se agir pelo tempo necessário para se neutralizar o efeito amarelado, que vai ficar lembrando um bege. Esse processo também pode ser feito com uma mistura de uma coloração (tinta), oxidante de 20 volumes e a mesma quantidade de água. A água nesse caso, é para diminuir o poder clareador do oxidante, pois nas luzes que já estão claras, não há necessidade de mais desgaste. Não recomendo creme na mistura, pois ele fecha a cutícula do cabelo, fazendo com que a química não penetre devidamente no cabelo.

quinta-feira, 15 de maio de 2008

Como retirar manchas de tinta ou tonalizante da pele

Pra tirar manchas da pele costumo usar um produto tira-manchas, próprio para esse fim, se chama Agima, é da Gadea. Durante a lavagem da química, ou após, aplique uma pequena quantidade num pedaço de algodão e gentilmente passe sobre a pele manchada e esfregue (não com muita força, com suavidade porque o produto é forte para a pele, podendo até causar vermelhidão ou danos maiores caso se esfregue com força). Enxágue com abundância o local. Já experimentei, mas não gostei nem recomendo, passar um algodão molhado com cinza de cigarro. Funciona, mas não é legal o cheiro. Algumas clientes passam demaquilante, dizem que funciona. O melhor mesmo é proteger a pele durante a aplicação da química, costumo usar uma sílica protetora chamada Hobby, da Valp ltda. Você encontra isso em boas lojas de cosmético especializadas. Após a aplicação da química, remova o excesso da pele com um algodão úmido. Após o tempo de pausa da química, umideça o contorno da testa com água e com um pedaço de algodão, e utilizando-se da própria tinta ou tonalizante, esfregue bem todo o contorno. É uma regra que aprendí no Soho, onde me formei, "manchas de tinta se tira com tinta, não com shampoo".

quarta-feira, 14 de maio de 2008

Para desembaraçar melhor o cabelo em casa

Acredito que o correto é aplicar o condicionador só nas pontas, mas procure um de boa qualidade. Recomendo o da Vitamino Color, da Loreal. Se puder investir mais, o melhor pra mim é o Hair Conditioner, da Senscience, capaz de desembaraçar facilmente qualquer tipo de cabelo com uma pequena quantidade de produto, dando muito tratamento e sedosidade ao fio e ainda por cima é o mais perfumado de todos os condicionadores que já usei. Trabalhar com ele (e o shampoo da Sensciense) no lavatório é um prazer enorme. Outra dica para melhor desembaraçar seu cabelo é o Leave-in Protector, da Lanza, que é um condicionador sem enxágue, o melhor de todos no mercado, na minha opinião, com uma pequena quantidade você desembaraça todo seu cabelo. Mais uma dica, existe uma possibilidade de você estar lavando seus cabelos de uma forma que esteja embaraçando os fios, ou não está enxaguando o suficiente o shampoo antes do condicionador. Vejo isso em alguns auxiliares novos de cabeleireiro. É necessário enxaguar até não sair mais nenhum vestígio de espuma. E o condicionador deve ser retirado até um determinado momento quando o cabelo não está mais tão pesado, mas isso é variável de cabelo pra cabelo, de acordo com o volume, grau de ressecamento e textura do cabelo.

Desfiar cabelos ondulados?

A questão do desfiado ou perfilado ou ainda um corte desbastado nas camadas internas do cabelo só podem ser indicados por um profissional que tenha experiência o bastante pra saber se a textura do seu cabelo permite que ele seja trabalhadas destas formas. Cabelos lisos e levemente ondulados comportam estas técnicas. Já cabelos mais crespos pedem outros tipos de corte, porque se ele for desfiado, desbastado ou perfilado o volume pode subir pra raiz e deixar as pontas ralas. Costumo sugerir um corte mais desconectado, partes maiores e menores, triângulo interno (tipo de corte com angulação voltada pra dentro, criando um efeito de nuca mais curta). Também gosto bastante de cortar cabelos ondulados e crespos com a técnica de mão livre, ou seja, sem pente, apenas a tesoura e a mão efetuam o corte, o que dá um efeito bem despojado, descontraído, jovem e delicado, destacando e estimulando os cachos.

Franja para cabelos encaracolados?

Não recomendo franja para cabelos encaracolados, o comprimento se faz necessário para que a parte frontal ganhe peso, do contrário, na altura de franja, ele com certeza vai armar e ficar muito cheio na testa. Exceto se você fizer fizer uma escova todos os dias, ou uma progressiva bem trabalhada (bastante chapinha em mechas finas durante o processo da progressiva). Mas mesmo com a progressiva, dependendo do nível de ondulação do seu cabelo, talvez seja necessário secar diariamente a franja com escova. Ou então faça um relaxamento na franja, que será mais prático no dia a dia.

terça-feira, 13 de maio de 2008

O que é melhor para se cobrir um reflexo? Tinta ou tonalizante?

A tinta (coloração) tem amônia na sua formulação. Ela é a principal responsável pelo ressecamento e alteração de porosidade, elasticidade e resistência do cabelo. Em alguns casos, os resíduos químicos da amônia causam alteração no ph do fio, o que por sua vez dá nós e embaraça os fios. Já o tonalizante é mais suave em vários aspectos (não que não seja uma química), e não contém amônia. Certamente, após um reflexo (que já deixa os fios mais sensibilizados com o poder de clareamento do descolorante), se a idéia é preservar a integridade dos fios, o melhor a se fazer é usar um tonalizante. Tons amarronzados e misturados com uma base natural são minhas prinicipais ferramentas no dia a dia do salão pra cuidar desses casos.

Vantagens e desvantagens ao se colorir os cabelos

As vantagens de se colorir o cabelo são cobertura dos brancos (se você tiver) e o prazer de poder mudar o visual (o que pode refletir um momento de mudança interna ou simplesmente vaidade). Desvantagens: todo cabelo tratado quimicamente (mesmo com tonalizante) precisa de cuidados como hidratações periódicas no salão e o uso de uma boa máscara de tratamento em casa semanalmente, pois o cabelo é sensível e ao se passar por um processo químico, fica com as escamas (cutícula) mais abertas, altera-se porosidade, elasticidade e resistência (principalmente em alisamentos).

Qual a melhor linha de produtos pra cabelos quimicamente tratados?

Eu recomendo a linha profissional da Loreal pra cabelos coloridos Vitamino Color (no caso da química ser coloração) e Absolut Repair para o caso de cabelos tratados com alisamentos e/ou reflexos. As duas linhas possuem shampoo, condicionador, máscara e leave-in. Não recomendo Absolut Repair para cabelos finos ou oleosos, vai pesar muito no fio. Agora, a melhor máscara de tratamento que eu conheço (que traz mais resultados visíveis e sensoriais) é a Age Recharge da Kerastase, que além de um tratamento interno nos fios (recupera o cimento interno celular dos fios), dando brilho e maciez dos cabelos, também promove uma renovação na fibra dos mesmos, combatendo radicais livres que causam o envelhecimento dos fios. E tem um perfume maravilhoso!

sábado, 10 de maio de 2008

Chapinha prejudica o cabelo?

Reconheço o dano causado pela chapinha principalmente quando, ao se fazer uma escova nesse cabelo (e durante o processo de alisamento com o secador e a mecha esticada com a escova), o cabelo começa a se soltar da escova, grande parte dele já está quebrada ou queimada, geralmente na parte interna do cabelo. Começamos trabalhando a raiz e conforme se chega nas pontas, não tem mais cabelo pra trabalhar. O aspecto é de um cabelo mais volumoso próximo a raiz e mais fino nas pontas, uma vez que o calor excessivo a que estes cabelos se expõem afinam as pontas do mesmo, como se estivessem desgastadas. Meu conselho é que não se use tanto chapinha, apesar de ser prática, ela é extremamente danosa aos fios devido a alta temperatura de sua natureza. Se precisar usar, que o faça com responsabilidade, de vez em quando, em ocasiões especiais, sempre com um protetor térmico antes de aplicá-la. Procure um profissional que saiba fazer uma boa escova lisa, que consiga deixar o cabelo com o mesmo efeito de uma chapinha sem precisar dela. O segredo está nas pontas, rodando a escova sem parar e direcionando o vento do secador de forma que as pontas da mecha não entre na escova (quando as pontas são envolvidas pela escova durante o processo de secagem, elas ficam abauladas ou viradas pra dentro). É assim que eu faço a escova reta.

Como fixar o moicano?

Eu recomendo a aplicação de uma pomada ou cera, de preferência a de bastão, que por ter uma consistência mais sólida, dá mais firmeza ao moicano e ainda trata o cabelo. A melhor de todas que eu conheço é a Bed Head, da Tigi. Ela é um pouco cara (na internet é bem mais em conta), mas dura muito. Um amigo meu entrou no mar com o moicano estilizado com esta cera, mergulhou algumas ondas e o moicano ainda estava de pé. É o bicho!

Como clarear um cabelo preto colorido?

O preto é a cor mais difícil de sair, e tinta não clareia tinta, por isso, qualquer outra nuance que se tentar passar só vai pegar na raiz natural (o crescimento) do cabelo. Já consegui clarear alguns cabelos pretos. Tenha em mente que nem todos os cabelos coloridos de preto clareiam por igual e nem todos clareiam. No fim, os cabelos ficam bem sensíveis, aconselho as clientes a procurarem uma boa máscara de tratamento pra usarem duas vezes por semana e amenizar o ressecamento, porque o processo é muito violento com o fio. Existem duas formas que se usa para clarear o preto. A primeira é a decapagem, eu costumo usar um produto de limpeza de nuances da Loreal, o Effaçol (nem pense em fazer isso em casa). Depois aplico preferencialmente um tonalizante para não sensibilizar ainda mais o cabelo, neste momento sim, com uma nuance, que pode ser marrom ou vermelho (são as duas cores mais próximas do fundo de clareamento que vai se apresentar). A segunda forma é o clareamento progressivo com mechas, mensalmente, costumo usar touca de reflexo nesse caso para começar o clareamento das pontas e só no final clarear a raiz que vai descolorir mais rápido. O clareamento não é muito grande pois o preto possui um forte concentração de pigmentos azuis, vermelhos e amarelos, onde o azul se destaca. Então, novamente aplica-se um tonalizante vermelho ou marrom nas mechas descoloridas. Um tonalizante acinzentado também pode usado, pois ele pode amarronzar naturalmente um cabelo alaranjado. É necessário paciência e consciência que se vai investir um bom dinheiro e tempo nesse processo. Dependendo da textura, como no caso dos cabelos finos, só clareamento através de luzes, a decapagem pode sensibilizar demais o fio fino.

sexta-feira, 9 de maio de 2008

Escova - A parte técnica

O texto abaixo é parte da minha Apostila Técnica de Cabelos. Ela entra a fundo em tudo que eu sei sobre o tema escova, o passo a passo, os detalhes, a técnica e os segredos (agora não mais) sobre escova.

O brushing ou escova é uma técnica de modelagem do cabelo com o uso do secador e da escova e que envolve o domínio destes dois instrumentos.
Como se dá esse processo na anatomia do fio? Quando molhamos o cabelo, abrimos a cutícula do fio, na verdade, abrimos sua ponte de hidrogênio. E quando secamos o cabelo nós fechamos ou restabelecemos a ponte de hidrogênio, definindo o cabelo numa nova forma, seja ela lisa ou ondulada. Daí a necessidade de manter a mecha esticada durante todo o processo, para restabelecer esta ponte com brilho, permitindo que a parte já trabalhada esfrie na nova forma, mantendo-a estável.
Recomendo o treinamento com duas escovas em frente ao espelho, girando-as constantemente e mantendo o eixo centralizado para ganhar mais afinidade e domínio com este instrumento de trabalho. Gire as duas escovas (preferencialmente do mesmo tamanho) para dentro e após algum tempo para fora.

A técnica de escovar um cabelo vai além de simplesmente alisá-lo. Conforme a experiência, o profissional vai precisar cada vez menos dividir a cabeça em 4 partes, chegando até ao uso de um único clips ou piranha para realizar uma escova. Também de acordo com sua experiência, o profissional trabalha mechas mais grossas, secando-as por todas as direções, agilizando o processo (isso varia de acordo com a quantidade e a textura do cabelo).
A partir daqui, se faz necessário conhecer a angulação da cabeça, pois vamos utilizar bastante este conhecimento. A cabeça é abaulada, tem forma levemente arredondada, sendo que nas laterais ela é um pouco mais reta.

O profissional de escova trabalha sempre uma mecha começando pela raiz, depois o meio e então suas pontas.

RAÍZ
O bico do secador precisa ser direcionado em paralelo ou a 15 graus em relação ao couro cabeludo quando trabalharmos a raiz do cabelo, em movimentos laterais constantes. Para um bom desempenho, devemos direcionar o vento corretamente no cabelo, evitando seu desperdício fora do cabelo, economizando tempo e energia elétrica. Devemos direcionar a raiz sempre para o lado oposto ao seu caimento natural, ou seja, se a raiz nascer para a direita, puxamos a mecha para a esquerda e vice-versa. Com isso, o intento é fazê-la ter um caimento natural. Cabelos volumosos pedem uma raiz mais baixa, então secamos a raiz puxando a mecha num ângulo igual ou inferior a 90 graus em relação ao couro cabeludo. Cabelos finos, sem volume pedem uma raiz mais levantada, então secamos a raiz puxando a mecha num ângulo superior a 90 graus.

MEIO (COMPRIMENTO)
Aqui trabalhamos o brilho do cabelo. Para isso mantemos a mecha sempre esticada, posicionando-a num ângulo de 90 graus até chegar nas pontas, onde já podemos abaixar essa angulação. A mecha não deve se mexer ou bambear, tanto trabalhando o comprimento quanto as pontas, para não esfriar sem brilho. O movimento do secador pode ser como o de um pincel, movimentando o punho para cima e para baixo, direcionando o vento a 90 graus quando o secador estiver descendo e a 45 graus quando ele estiver subindo. Em cabelos mais difíceis de alisar, recomendo trabalhar apenas a 45 graus para fazer os cabelos novos ou quebrados deitarem na mecha e também para esquentar mais o cabelo. Cabelos muito crespos ou afros precisam ser trabalhados ainda úmidos. Cabelos levemente ondulados e lisos podem ser trabalhados praticamente secos.

PONTAS
As pontas definem as diferentes versões de escova, que podem ser completamente lisas ou retas (manter o secador parado a 45 graus sem encostar sobre a escova que se mantém em movimento circular constante), pontas viradas para dentro (a escova é puxada parada para cima e descreve movimento circular para dentro, com o secador acompanhando o movimento), pontas viradas para fora (mesmo movimento das pontas para dentro, mantendo o secador embaixo da escova e da mecha, onde esquentamos a ponta com o secador em cima da mecha por alguns segundos e aguardamos o cabelo esfriar um pouco).

· Para obter pontas e comprimento com cachinhos (utilizar mousse antes, utilizar uma escova pequena de cerdas de pelo ou outra sem bolinhas para não enroscar): segurar a escova na diagonal. Secar a raiz, o meio e enrolar as pontas até a metade do comprimento e então desenrolar sempre acompanhando com o secador. Repetir o movimento algumas vezes e então esfriar o a ar do secador para esfriar a mecha, dando-lhe um choque térmico que vai manter o cacho. Para soltar a mecha, cuidadosamente a desenrole envolvendo-a em seu dedo).

· Em cabelos desfiados nas laterais usamos a escova na mão direita para fazer o lado direito da cabeça e usamos na mão esquerda para o lado esquerdo, pois modela as pontas com o caimento correto.

· No Brushing e na Denman nos posicionamos de maneira confortável, ou seja, pé direito a frente quando a escova está na mão direita e pé esquerdo a frente quando estamos trabalhando com a escova na mão esquerda.

· Uma técnica bastante interessante para dar um efeito de ondulado mais despojado, diferente, é tirar o excesso de água e secar o cabelo torcendo-o. Faça uma banana torcendo o cabelo (dependendo da quantidade de cabelo, dividimos em duas ou até três partes) e esquentando esta banana bastante. Em seguida, esfrie o ar do secador e mantenha-o sobre a banana por alguns segundos. Balance todo o cabelo e faça o mesmo em várias partes da cabeça, procurando torcer sempre para uma mesma direção, inverter o movimento desfaz os cachos. Em cabelos mais crespos ou sem brilho no contorno do rosto, dê uma leve escovada puxando para trás as mechas e depois comece o enrolamento.

· Aplicação de chapinha: segure a mecha e aplique a chapinha algumas vezes próximo da raiz e desça até as pontas. Para retornar a raiz e repetir o processo tenha a mão um pente de cabo ou de corte resistente ao calor. Recomendo pente da Krest.

Dicas para uma boa escova em casa

Em casa, para fazer escova, retire bem o excesso de água com o secador, com o cabelo desembaraçado (embaraçado retém água), retire uns 80% da água em caso de um cabelo levemente ondulado ou menos em caso de um cabelo mais crespo. Divida seu cabelo para trabalhar com mechas que caibam no comprimento da escova e que sejam mais ou menos do tamanho de seu diâmetro. Para deixar o cabelo mais liso, mantenha sempre a mecha esticada, quando ela fica balançando ela perde o brilho. Dê boa atenção para as pontas, você pode ficar girando a escova sem parar enquanto direciona o vento do secador sobre elas, quanto mais calor, mais brilho e alisamento. O que realmente alisa durante a escova, não é a força pra puxar a mecha mas o calor do secador e a técnica empregada. Seguindo estas dicas, com a prática, você deve melhorar sua técnica.

Como manter a escova progressiva por mais tempo

Eu sempre recomendo que minhas clientes lavem seus cabelos com um shampoo de limpeza suave sem sal. O sal causa uma fricção no fio que retira mais rapidamente a progressiva, assim como o mar. Dê preferência a linha de manutenção do próprio produto utilizado. Se puder, compre o leave-in (condicionador sem enxágue) também. Só tome cuidado para não exagerar e acabar deixando o cabelo muito pesado, escova progressiva já deixa a raiz do cabelo mais oleosa, porque forma uma película de queratina nas pontas. Leave-in, só um pouquinho e nas pontas.

sábado, 3 de maio de 2008

O corte de cabelo

Entendo que cortar o cabelo envolve muitas variáveis, além da idéia de aparar as pontas para fortalecê-las, a saber:
O desejo da cliente
Pode acontecer da cliente estar preparada para mudanças radicais. Mas isso não é lei. As vezes ela quer mudar mas existem resistências internas que precisam ser observadas pelo profissional. Pode ser um medo de mudar e o corte não a satisfazer, pode ser um apego ao comprimento, pode ser um momento de depressão ou até um protesto a fatores externos (que são na verdade, um reflexo do que está acontecendo dentro da cliente). Algumas clientes já têm definido aquilo que querem, outras simplesmente entregam o seu cabelo ao profissional, confiando que ele fará um serviço que a agrade e combine com o seu perfil. Sinceramente, meus melhores cortes se desenvolveram nesta atmosfera de entrega e confiança. É como se as portas da criatividade se abrissem por completo e me usassem como um canal receptivo para o desenvolvimento do corte. Relato aqui que já houve momentos em que minhas mãos se guiavam sozinhas, criando novas linhas de corte e técnicas de desfiar. Grandes trabalhos podem ser realizados quando se está preparada para a mudança visual e os bloqueios internos são trabalhados. Esta é a entrega do cabelo nas mãos do profissional, atitude de grande desprendimento e desapego. Isso é claro, não se aplica a todos.
O perfil da cliente
Esta é uma variável que só pode ser explicado dentro dos conceitos do visagismo. Visagismo é um estudo que procura integrar a personalidade, o estilo, as roupas, as jóias e o desejo da cliente ao serviço de corte e cor (também pode ser usado na maquiagem e no penteado). Algumas técnicas utilizadas pelo visagismo são, por exemplo, dar uma revista de tendências em cabelo para cliente e pedir que ela mostre nesta revista 3 fotos de cabelos que ela gosta e 3 que ela não gosta. O profissional mescla esta informação ao desejo da cliente. Outra técnica consiste pentear todo o cabelo da cliente pra frente e pedir que ela penteie seus cabelos com as mãos como ela usa no dia a dia. O visagismo analisa cada movimento executado pela cliente e, através deles, aponta estilo, personalidade e gosto da cliente. As roupas, jóias, cor do esmalte e maquiagem que a cliente está usando também indicam a direção para o profissional visagista. Além disso, é importante atentar para o formato do rosto da cliente, observando a direção das forças de expressão, ou seja, se apontam para o céu ou para a terra. O objetivo do visagismo é criar uma harmonia entre todos estes fatores.
As fases da Lua
Isso depende muito da crença pessoal de cada, mas como faz parte da crença de muitas pessoas, resolví colocar aqui, de uma forma bem resumida, como funciona esta variável. Devido a sua relação com os processos de renovação no planeta Terra, a Lua também atua no crescimento dos pêlos e cabelos. Cortar os cabelos na Lua nova, estimula os processos de renovação e também no crescimento dos cabelos. Na Lua crescente, o corte estimula ainda mais o processo de crescimento dos cabelos. A Lua cheia incentiva o volume, deixando os cabelos mais cheios e a Lua minguante é indicada para quem quer fortalecer, enraizar e manter o corte por mais tempo.

Vídeo que ensina a fazer cachos perfeitos com sua chapinha (apenas chapinhas pequenas).